terça-feira, 28 de julho de 2015

A morte


Lindos filhotes de fox paulistinha terrier brasile                                                                                                                                                                                           
DACHSHUND POODLE TOY E ITALIAN GREYHOUND FIILHOTES

                                                           A Morte                                                                                                                                                                                                        

                                                             


  Odeio a morte, Mesmo tendo a convicção de que ela é necessária à vida. Hoje perdi mais um pedacinho de mim. O meu amado cachorrinho Radeshi. Como se já não bastasse ter perdido o Toy, Toy ll, Bud, Lili, Bete, Kênia. Lulu,Flop, Tarzan, Leão,Pluto Teka, Tica...e muitos outros.
  Hoje meu coração está mais uma vez sangrando. Sei que estou sendo egoísta, pois estavam sofrendo. Mas sei  também que lutaram pra não me deixar.Mas fomos muito felizes, disso tenho a certeza.
  Foram vidas que jamais sairão da minha vida. Sei que muitas pessoas podem pensar que sou louca.  Tanta gente sofrendo, tantas crianças morrendo a toda hora e nunca fiz esse desabafo. É que não consigo nem imaginar passar com uma pessoa isso que estou passando. Seria o meu fim.Embora a morte seja necessária eu estou preparada em relação a mim, só pra minha própria.
  Ainda me resta a minha Raquelli, desde já quero ir me preparando para a chegada da sua ausência um dia. E que esse dia esteja muito, muito distante  Estou  bem de saúde, nada a ver com o meu problema neurológico, apenas uma tristeza, uma angústia imensurável. Quero ficar só nesse momento. Meu marido maravilhoso me entende e me apóia.Depois que a minha Raquelli se for , jamais pegarei outro animalzinho, pois pareço ter a morte ao meu lado.
Acho que vou adotar uma pedra como bichinho de estimação. Será que ainda vou correr o risco de perdê-la?
  Gostaria de encontrar uma fórmula de endurecer o meu coração em relação aos animais, mas não consigo. Eles são a minha vida.
  A todos os meus animaizinhos que se foram e a minha Raquellinha que ainda está comigo, meu mais sincero amor e agradecimento pelas horas de amor  e carinho a mim dedicados.
             Mamãe sempre terá vocês no coração.
             E a todos que passaram ou estão passando pela mesma dor tenham a minha solidariedade.


Radeshi e mamãe

Toy I                                                                                                   Radeshi e Raquelli

sábado, 25 de julho de 2015


  Gif        Barrinhas da Luma  BGif




                                          Dia do escritor
                                                          ( velu)



Quero aqui homenagear todos os escritores desse nosso imenso Brasil.
Podemos ter muitos problemas, milhares deles pelo país afora, mas a alma do poeta, escritor ou expositores de sabedoria está sempre recheada de sentimentos de toda natureza. Que como passarinho na gaiola almeja a sua liberdade para regozijar os corações sedentos da beleza da combinação das palavras ditas com com o coração.Que dão alento a muitas dores ou alimenta muitos amores.
Parabéns aos nossos escritores locais em especial.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Sabe...

                                                       
       Gif de flor                              Resultado de imagem para Figura de um vestido de chitaGif de flor
                 Quando a primavera chegar,
                  Eu quero estar aqui bem bonita.
                  Com a face bem rosada,
                  Em um risonho vestido de chita.   


                                 Meu coração exalando  alegria,
                                 Temperado em amor profundo.
                                  Cultivarei muitas flores! 
                                  Pois nada se leva deste mundo.


                  Eu as regarei bastante,com pitadas de carinho,
                  Pra quem queira falar sozinho e também, o belo admirar.
                                  Cultivarei clívias, rosas,violetas e russélias,
                                  Pra quando eu daqui me for,ter algo pra deixar.


                                  Das flores deixo beleza e perfume,
                                  Terapia para todas as  tristezas e dores.
                                  Dos meus sentimentos vindos d'alma,
                                  Deixo os mais puros, aos amigos e aos amores.

                                                                          (velu)
                                  

                                 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Um poema de amor


                    Um poema de amor

                                             
      Sueli Batista DamascenoFloatie gif

Disseram ao poeta faça um poema de amor...
E ele senta-se na frente do mundo e pensa...
O que devo dizer sobre o amor, e de qual amor devo voltar as palavras
As ondas do mar que se jogam na areia, sem ao menos pedir se podem
Isso é amor...
Quando duas mãos se unem diante de Deus e dos homens
E fazem ali uma aliança de fidelidade e carinho
Eis ai o amor.....
Quando acalenta a mãe, o filho que ama apesar de não o ter gerado em sua madre,,
Esta é a essência do amor...destituído de leis do sangue,
Quando debaixo de um temporal , soam as palavras tremulas ...”Eu te aqueço”
Não é pois o amor?
Quando tristezas e perdas, medo ...escassez de alimento juntam-se
E o temor da solidão avulta-se ...e apenas num olhar eles sabem que tudo vai passar...
Seria o amor....?
Quando há harmonia em todas as coisas seria fácil dizer ...Eu te amo
Contudo quando a doença e ínfimo dia a dia se faz presente
Ah! Nesse momento deve perdurar o amor...de verdade..
Quando na simplicidade da mesa do jantar reunia-se a família...
O pais se olham, e lembram de como foram árduas suas batalhas
E trocam silencioso sorriso de carinho , pois lá se foram tantos anos..
Dez ...vinte ...trinta...e se chegaram aqui haverão de ir até os sessenta

quinta-feira, 26 de março de 2015

terça-feira, 24 de março de 2015


                                                  Fui...


                                         Visto-me de meus versos simplistas,          
                                         Sem cadência, sem rebuscos.
                             Saio de cena já saudosa,
                             Mas retenho os meus soluços.  

                             Na bagagem um amontoado,
                             De verbos, pronomes e redundâncias.              
                             Vão-se gerúndios, tu e eu,
                             Poupando-os de tantas lambanças.  

                             Gravem! Vou mas voltarei!
                             Porém, bem mais iluminada.  
                             E os meus versos tão bizarros,    
                             Serão grandes orgulhos meus.

                                                     (velu)