quinta-feira, 26 de março de 2015

terça-feira, 24 de março de 2015


                      Fui...


                        Visto-me de meus versos simplistas,          

            Sem cadência, sem rebuscos.
            Saio de cena já saudosa,
            Mas retenho os meus soluços.  

           Na bagagem um amontoado,
           De verbos, pronomes e redundâncias.              
           Vão-se gerúndios, tu e eu,
           Poupando-os dessas lambanças.  

          Gravem! Vou, mas voltarei!
          Porém, bem mais iluminada.  
          E os meus versos tão bizarros,    
          Servirão só de risadas.



                         Velu
Gif

segunda-feira, 23 de março de 2015

                                        Homenagem aos Psicólogos



     Profissionais que ouvem seus problemas e fazem deles seus. Tentam fazer o melhor por nós, como faria para resolver os seus próprios problemas. Às vezes nós os  achamos maiores do realmente são, mas eles nos fazem ver a real dimensão desses problemas. Preocupam-se em analisá-los como se fossem realmente os seus e, com certeza, muitas vezes os seus próprios se tornam ínfimos perante os nossos.  Às vezes nos deixam irritados com o seu silêncio e perguntas reflexivas. São esses justamente os elementos que nos levarão a buscar no recôndito do  nosso ser o porquê daquele sofrimento que nos assola. Quantas vezes nos consolam com o seu carinho profissional!
    Recordo-me que logo no princípio do meu tratamento tive a ousadia de dizer à minha psicóloga que a profissão dela era a mais fácil de ganhar dinheiro, pois só ouvia e quase nunca falava. Intrigava-me, pois devolvia as perguntas sutilmente levando-me a pensar de uma forma mais profunda. Eu queria as respostas prontas e no  entanto, ela fazia com que eu as encontrasse. Isso me irritava no início e ela sabe disso. Sempre jogamos limpo e somos sinceras  uma com a outra.
    Sinceramente, hoje acho que ao lado da Psiquiatria é uma das mais difíceis, pois além de carregar os seus problemas,  acumulam-nos com os dos outros.
    Eu os respeito, admiro-os e quero aqui homenageá-los em nome da minha maravilhosa Psicóloga Márcia Patinho. Ela muito fez por mim, está fazendo e ainda fará muito.
  
    Obrigada querida, cumprimente a  todos por mim e, jamais se esqueça: SOU SUA PACIENTE MAIS IMPACIENTE 
  O DIA DO PSICÓLOGO É 27 de agosto para aqueles que não têm convívio com eles.

            
                                                  Vera Lúcia Resende



                                                        A chuva 
                                  
                          
                                            Encanta-me o cair da chuva
                                            Em belos fios transparentes
                                            Às vezes cai serena e fina
                                            E mexe com a vida da gente

                                            Tem um poder tão profundo!
                                            Dançando graciosamente
                                            Com a terra gentil companheira
                                            Embalando os sonhos da gente

                                            Temida às vezes ela chega

                                            Raivosa tal qual a serpente
                                            Sobre a forma de protesto, 
                                            Chamando a atenção da gente
                                            Talvez como um grande amor
                                            Bela, meiga, impaciente
                                            Esconde estranhos mistérios
                                            Transformando a vida da gente

       


                                                    Vera Lúcia
Barrinhas e Divisórias

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

                                                                 Mesmice

                                                  Manhã vermelha, sol ardente... 
                                                  Dia longo, tarde morna...
                                                  Noite gélida,ninguém acorda
                                                  Pausa pra vida, que amanhã nos aborda...

                                                  Manhã vermelha, sol ardente...
                                                  Mas as aves gorjeiam,alegram  contentes....
                                                  Brisa agora chega, com uivos do vento...
                                                  Borboletas multicores, no relvado já quente.

                                                  Manhã vermelha, sol de novo ardente...
                                                  Água límpida, que no rio passeia...
                                                  Na relva pastada,já bem oprimida...
                                                  Embora sofrida, ainda tem vida.

                                                  Manhã vermelha, sol a oscular...
                                                  Aquele que sai, pra nunca voltar...
                                                  Noite outra vez, a mesma de antes...
                                                  Só é diferente, para os eternos amantes.

                                                                                ( velu )